SeMOB interdita as principais vias do trajeto do Círio devido ao grande números de devotos nas ruas

Devido ao grande número de devotos de Nossa Senhora que tomaram as ruas de Belém, na manhã deste domingo, dia 10, mais uma vez a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (SeMOB) teve que adaptar a programação de interdição das vias da cidade, para garantir a segurança dos que participaram do Círio de Nazaré.

Oficialmente, não haveria procissão. A imagem peregrina sobrevoou Belém de helicóptero, ainda por causa da pandemia de covid-19. Mas desde as 5 horas da manhã, as ruas foram ocupadas espontaneamente pelos fieis, que percorreram o trajeto da festividade, saindo da Praça da Sé. Apesar da área de entorno da Catedral de Metropolitana de Belém ter sido fechados pela SeMOB, por barreiras de gradil, e fiscalizada por agentes, assim como outros lugares estratégicos como a avenida Nazaré, o órgão teve que mudar seu planejamento, interditando outras vias tradicionais do percurso, como as avenidas Assis de Vasconcelos e Presidente Vargas.

“Apesar de todas as recomendações, uma multidão foi às ruas de Belém neste domingo. Como medida de segurança, tivemos de interditar as vias. O mais importante era preservar a integridade das pessoas, o que conseguimos com sucesso, pois não houve, ao longo do percurso do Círio, nenhum incidente registrado”, avalia Elias Jardim, coordenador de Operação e Fiscalização de Trânsito da SeMOB.

Segundo Elias Jardim, a Polícia Militar (PM) calculou que, aproximadamente, 400 mil pessoas a

partiviparam da romaria. A Superintendência já havia optado pela interdição de parte do trajeto da procissão. Desde às 14h do sábado, dia 9, foi fechadao, com gradil e cones, o acesso da avenida Generalíssimo Deodoro, com a Avenida José Malcher, além da Vila Leopoldina.

Agentes de trânsito e de transporte da SeMOB, contando com o apoio de outras forças de segurança como a Guarda Municipal de Belém, o Departamento de Trânsito do Estado (Detran-PA) e a PM, ficaram monitorando os principais gargalos do tráfego, no caso de os fiéis seguirem o percurso da procissão, como aconteceu na noite anterior, durante a Trasladação.

Na ocasião, a avenida Nazaré teve que ser interditada para a circulação de veículos, devido ao grande número de pessoas nas ruas que caminhavam em direção à Basílica Santuário. O órgão também decidiu realizar uma operação especial no BRT, na noite de sábado, dia 9. Os coletivos do BRT circularam na máxima cautela, com os faróis ligados, pisca alerta e com velocidade baixa, em torno de 10 km por hora. A medida foi tomada para proteger o grande fluxo de romeiros e ciclistas, que chegaram à capital paraense, pois alguns deles estavam trafegando na canaleta do BRT.

Sem barreiras para a fé – A aposentada Ângela Miranda estava se sentindo mais segura para ir ao Círio, este ano. “Ano passado estava com medo, mas agora já tomei as duas doses da vacina”, conta a devota. Ela estava tão confiante, que resolveu distribuir terços como lembrancinhas às pessoas que caminhavam na avenida Nazaré em direção à Basílica Santuário. “É uma promessa que eu fiz, para curar o meu irmão, e agora, finalmente, posso cumprir”, comemora.

“Ei Nazinha, distância nenhuma me afasta de ti” era a mensagem estampada na camisa da técnica de radiologia Letícia Oliveira. Ela organizou um grupo, para ajudar um amigo a pagar a promessa de percorrer o Círio de joelhos. “Somos um grupo de amigos que todos trabalham na área da saúde. A pandemia foi um período muito difícil, que vimos muitos pacientes morrerem, que perdemos muitos amigos, trabalhando na linha de frente contra o vírus. O Círio é um momento de renovação da fé e da esperança, por isso resolvemos participar da procissão este ano”, explica.

Texto: Leonardo Fernandes

Fotos: Ascom SeMOB