Alunos da Educação Infantil aprendem sobre segurança de trânsito em programação da Prefeitura de Belém

Por meio do Teatro de fantoches, a criança é orientada a não andar correndo nas calçadas e a atravessar a rua com atenção, apenas na faixa de pedestre. Essa foi a dinâmica usada pelos agentes educadores da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) na ação educativa aos alunos da escola de ensino infantil Jesus Maria e José, localizada no bairro Curió-Utinga. 

Prevenção e conscientização – A atividade faz parte da programação do Maio Amarelo, desenvolvida pela Prefeitura de Belém, por meio da Semob, que visa a conscientização, prevenção e redução de acidentes. O Movimento Maio Amarelo se propõe a chamar atenção para a prevenção de acidentes e reduzir o índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. É um movimento internacional de conscientização para redução de acidentes de trânsito.

A ação educativa orienta as crianças, de forma lúdica, sobre o que representa cada cor do semáforo e como atravessar a rua com segurança. Os pais são orientados a segurar o pulso da criança, para evitar risco, e não segurar na mão. A maioria das crianças vai para a escola de bicicleta. Por isso, os alunos aprenderam também sobre os equipamentos de segurança para poder andar de bicicleta (capacete, luvas), além de andar no local apropriado, na ciclofaixa.

Cidadãos mais conscientes – “É sempre importante trabalhar a criança porque ela está em fase de formação. Promover a educação de trânsito para o público infantil, fará com que tenhamos cidadãos mais conscientes, cuidadosos e responsáveis no trânsito, além de se tornarem agentes multiplicadores de boas informações”, explicou  a chefe da Divisão Educação para o Trânsito da Semob, Tatiane Pinheiro.

Segundo a chefe CDET, a criança, nesse processo, acaba sendo um agente multiplicador dessa informação que ela recebeu. “Não existe agente multiplicador melhor que a criança. É de muito valor”, disse.

A professora Vânia Soares avaliou a ação como legal e interessante. “É uma maneira também para que possam compartilhar com as famílias as informações a orientações”, disse. Toda informação é bem-vinda para as crianças. A gente tem uma rotina de compartilhamento de informações e de opiniões, dentro da escola. Por isso não tiveram dificuldade de participar”, disse a professora. “Vocês também trazem informações para a gente e vamos orientar as famílias”, disse.

Para a assistente pedagógica Elenilde Fuziel, as crianças aprendem muito rápido. “Essa idade é excelente pra ela ser um adulto consciente e obediente ao trânsito, além de serem multiplicadores, por terem influência sobre os pais, que acabam aprendendo com as crianças”, disse.

Texto: Rosângela Gusmão

Foto: Ascom/Semob