Prefeitura de Belém promove roda de conversa sobre o Janeiro Branco no Terminal Mangueirão

Quem passou pelo Terminal Mangueirão no final da tarde de ontem, quarta-feira, 19, teve uma agradável surpresa. A cantora Roberta Alves Brito encantou a todos com sua voz e repertório musical. Durante a apresentação ao violão, a cantora convidava os presentes na plataforma de integração, para participar da roda de conversa promovida pela Prefeitura de Belém, por meio da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob). 

A roda de conversa ocorreu no subsolo do Terminal Mangueirão. Direcionada ao Janeiro Branco, mês de conscientização da saúde mental, o tema foi Saúde Mental, trânsito e relações humanas.

A intenção da Semob é promover outras conversas sobre o assunto, durante o mês de janeiro.

Comum em todo o mundo – O palestrante foi o psicólogo e especialista em curso multidisciplinar de trânsito e mestre em teoria e pesquisa do comportamento, Márcio Rodrigues. Para ele, a questão da saúde mental é sempre importante, pois é um problema que tem se tornado cada vez mais comum em todo o mundo.

“A ansiedade, por exemplo, atinge mais de 260 milhões de pessoas. Aliás, o Brasil é o país com o maior número de pessoas ansiosas: 9,3% da população, segundo a OMS”, explicou o especialista.

Márcio Rodrigues considera muito importante a Semob ter também uma relação com os participantes dos sistemas de trânsito e de transporte público. “A questão desses sistemas pressupõe relações entre pessoas diversas com diversas características, interesses, desejos, necessidades. Não é raro nestas relações a ocorrência de conflitos. E também essa população tem sentido as influências do contexto social e econômico que tem atingido nosso país, em especial se considerando os anos de pandemia”, explicou o especialista, considerando que é importante ter um diálogo com essa população sobre estas relações e para escutar também em seus anseios.

Plateia atenta – A roda de conversas foi diferente, a plateia ouvia atentamente na parte de cima, na plataforma, enquanto aguardava o ônibus. O encanador Antônio Edson Assunção era um dos mais atentos. Ele trabalha em Icoaraci e aguardava pelo ônibus Águas Lindas.

“É uma discussão muito importante, pois, se a gente não estiver bem, deixa de desenvolver atividades, por mais simples que sejam,  tanto em casa como no trabalho”, disse Antônio Edson, considerando a necessidade do diálogo e do debate.

Conversa importante – A estudante do ensino médio, Radhyja Menezes, considerou válida a discussão, pois são situações vividas no dia a dia, como os estresses vividos em casa e no trabalho. Ela mora em Icoaraci e esperava o ônibus para ir para casa e aproveitou para acompanhar a palestra.

Da mesma forma, o mestre de obras Hélio Mendonça. Ele, que estava vindo do Bengui e esperava ônibus para casa, em Ananindeua, considera importante a conversa sobre a saúde mental, estresse e ansiedade. “Uma questão que está presente no nosso dia a dia”, disse.

Texto: Rosângela Gusmão

Foto: Ascom Semob